terça-feira, 24 de novembro de 2009

MAXIMIZAÇÃO DO LUCRO

Administração Financeira

A administração Financeira é uma ferramenta de extrema importanica para todas as organizações sejam elas com fins lucrativos, sem fins lucrativos, privadas, forças aramadas, hospitais e etc. A importancia da administração de Finanças não limita-se apenas as organizações, ela é vital para todas as pessoas.

A administração financeira esta em todo o ambiente oragnizacional, ela é o oxigencio da Organização, pois sem o Ativo em especie, nehuma Organização, nenhum individuo sobrevive.

Abaixo inserimos um link onde a um desenvolvimento melhor do nosso trabalho.

Acessem o link abaixo para visualizarem o trabalho como um todo:

http://docs.google.com/Doc?docid=0AcWLooCqSyNzZGdkaG1qNHJfMGZkbXE2NmN3&hl=pt_BR

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

O PERFIL DO ADMINISTRADOR DO MERCADO ATUAL

A partir de meados de 2008, o mundo começou a encarar um novo cenário da crise global que se instalou em todos os continentes. Nos Estados Unidos, a crise já tria se instalado a um bom tempo atrás, porém as intervenções do Governo Americano tentavam de todas as formas para que essa crise não desacelerasse a economia do país, injetando bilhões de dólares nos setores financeiros (principais bancos) e nas grandes montadoras de automóveis do país. Essas intervenções eram para evitar uma terrível recessão que conseqüentemente afetaria todo o restante do sistema, causando uma avalanche nos principais setores, como: as bolsas de valores, o sistema financeiro (bancos), o sistema imobiliário e as grandes montadoras.
Assim, neste momento de turbulência na economia mundial sobressai-se a figura dos verdadeiros administradores. Pois, administrar uma empresa em águas calmas não é difícil, dificuldade existe em manter o rumo de uma organização em meio a uma turbulência sem precedentes, tal qual se configura na atual conjuntura. É neste momento que as empresas necessitam de um profissional que nos últimos anos vem sendo peça fundamental dentro das organizações, o administrador. É este profissional que vai dar um norte nas questões financeiras, estratégicas e que rumo seguir, por ter ele a qualificação necessária que, junto com a experiência, vai tirar a empresa do caos.
Sendo assim, este período de crise exige talvez mais do que em qualquer outro momento, que os administradores tenham criatividade para fazer com que as empresas consigam ter bons resultados. Controle para que as despesas não gerem desperdícios e inteligência para que se perceba qual é a melhor forma de aplicar o lucro são apenas dois exemplos de ações essenciais no cenário econômico atual.
Assim, as profissões ligadas à área de custos serão de extrema relevância para as empresas. O Administrador, por exemplo, tem como função desenvolver, planejar e criar possibilidades para a ligação entre a contabilidade e as outras áreas financeiras da companhia. Seu trabalho também deve ser pautado por transparência e visão de negócio.
Em contrapartida, alguns especialistas defendem a continuidade do investimento maciço em propaganda em épocas de crise, mas a verdade é que muitas empresas não terão alternativa a não ser cortar investimentos destinados a áreas importantes, como marketing e publicidade para se estabilizar financeiramente.
Desta forma, conclui-se que para atender às “exigências” desse novo cenário, as empresas procuram profissionais também com um novo perfil, que tenham curiosidade, capacidade de correr riscos, mudança de paradigmas e perseverança que são passos importantes na direção de uma atuação criativa e inovadora.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Evolução dos Conceitos: Homem, organização e Meio Ambiente


É importante questionar o quanto o desafiador cenário globalizado causa impacto direto e indireto na reavaliação das diretrizes de desenvolvimento para o futuro. Não obstante, a hegemonia do ambiente político econômico e financeiro acarreta um processo de reformulação e modernização de todos os recursos funcionais envolvidos.
O novo modelo estrutural aqui exposto possibilita uma visão global do fluxo de informações. Verificando que a contínua expansão de nossa atividade e conhecimento é uma das conseqüências do impacto na agilidade decisória.
Todas estas questões serão devidamente ponderadas ao longo deste estudo, levantando discussões sobre o a evolução dos conceitos de homem,organização e meio ambiente

Acessem o link abaixo para visualizarem a tabela:
http://spreadsheets.google.com/ccc?key=0AjKxUwJEFy6tdEJyWDhfOHpZMFpFZGdSeDdlc2g0eHc&hl=pt_BR

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

"VIDA DE INSETOS"


Vida de Inseto

  • Ano de Lançamento ( EUA ) : 1998
  • Direção: John Lasseter
  • Atores: Dave Foley , Kevin Spacey , Julia Louis-Dreyfuss , Hayden Panettiere , Phyllis Diller
  • Duração: 01 hs 36 min

Sinopse

Todo ano, os gananciosos gafanhotos exigem uma parte da colheita das formigas. Mas quando algo dá errado e a colheita destruída, os gafanhotos ameaçam atacar e as formigas são forçadas a pedir ajuda a outros insetos para enfrentá-los numa batalha.

Organizações Mecânicas e Orgânicas

Organização mecânica é caracterizada pela formalidade, pela existência de um organograma detalhado e rígido, pela pouca comunicação entre diversos setores em nível horizontal, privilegiando o nível vertical e hierárquico com forte centralização do poder.Já a organização orgânica se opõe ao primeiro modelo, os papeis organizacionais não são explícitos, não se acentuando as diferenças em nível hierárquico. A comunicação se dá tanto em nível horizontal quanto vertical e o poder de decisão é descentralizado.

Embasado no conceito dado acima podemos fazer referencia ao filme Vida de Inseto vivendo um modelo de uma organização com característica mecânica (formigueiro), onde as ameaças externas (gafanhotos) obrigam a toda a organização rever os conceitos e adotar mudanças baseadas na flexibilidade das características orgânicas (circo).

Abaixo veremos características de organizações mecânicas e orgânicas baseada na história do filme:

Organização Mecânica:

· Divisão administrativa onde cada individuo desempenha uma tarefa atribuída (Exemplo: Formigas levando as sementes para a pedra da oferenda);

· Hierarquia clara de controle, onde a coordenação geral parte exclusivamente da cúpula (Exemplo: Reunião onde os conselheiros, a rainha e a filha sucessora decidem o que fazer ao sofrer ameaça dos gafanhotos);

· Valorização da comunicação e interação verticais entre superiores e subordinadas (Exemplo: O bloqueio da passagem da fila com a queda de uma folha mostra a centralização da hierarquia (gerente) direciona as formigas ao caminho certo).

· Valorização da lealdade e obediência aos superiores (Exemplo: Quando deixam o plano do “Passarinho” criado por Flik de lado, e voltam a catar sementes);

· Reforço de controle burocrático (Exemplo: Intensifica a colheita de sementes ignorando totalmente outra saída).


Organização Orgânica:

· Independente da condição externa procura atualizar seus métodos de trabalho e investimento (Exemplo: O circo no filme simboliza este sistema);

· Mudanças é sinônimo de algo natural (Exemplo: O ataque do passaro aos insetos leva-os a improvisação e a trabalhar em equipe para se defender diante o perigo);

· Ambiente gerencial favorável a criatividade (A pulga dona do circo não se importa quando é preciso mudar o roteiro de cada personagem, antes ela mesma os incentiva);

· Descentralização do poder com interatividade e liberdade de opiniões (Exemplo: Quando cada um tenta dizer qual a melhor forma de conduzir o espetáculo);

· Envolvimento e compromisso com a organização (Exemplo: Apesar de todos os desafios externos enfrentados, como a falta de público, eles não desistem de apresentar o show até o fim);

De modo geral vemos que cada organização tem sua característica para boa funcionalidade. Portanto, deve haver uma adequação estrutural da organização ao seu ambiente de negócios, onde a orgânica use procedimentos mecânicos que lhe beneficie e vice-versa.


Bibliografia: Teoria Geral da Administração (Fernando C. Prestes Motta)

terça-feira, 25 de agosto de 2009

TGA - Teoria Geral da Administração

video

Implicações da Contingência Estrural

• O que é Contingência Estrutural afinal?
• Quais suas implicações na prática administrativa?

A Contingência Estrutural tem como objetivo principal quebrar paradigmas afirmando que não existe um modelo de estrutura organizacional único, que seja aplicado a todas as organizações. Tudo é relativo, tudo depende, pois existe uma relação funcional entre Organização e suas respectivas práticas administrativas - que são as variáveis dependentes - e o ambiente - que são variáveis independentes. O papel do Administrador está justamente no fato de conduzir a organização tendo visão do ambiente no qual esta inserida, para que assim os objetivos organizacionais sejam atingidos.
Essa teoria surgiu no final da década de 50 através de pesquisas realizadas para identificar quais modelos de Estrutura Organizacional eram mais eficazes em determinado seguimentos da indústria, no entanto, estes estudos constataram que a estrutura e funcionamento das organizações não dependiam tão somente de uma estrutura organizacional firmada e sim de vários fatores internos (práticas administrativas e ambiente interno ou organizacional) e externos (ambiente externo ou geral e Ambiente da Tarefa - o mais próxima da organização em questão - e tecnologia) que poderiam adaptar-se ao contexto que elas atuavam em cada momento e o ambiente no qual a organização estivesse inserida.
Ainda no período de pesquisa, os sociólogos Tom Burns e G.M. Stalker estudaram indústrias inglesas para verificar a relação entre práticas administravas e ambiente externo destas indústrias. Diferentes procedimentos administrativos foram encontrados, então eles a classificaram em dois tipos de organizações: Mecanísticas e Orgânicas, que detalharemos nas próximas postagens.
A teoria contingencial trás como implicações para a prática da Administração, a identificação de fatores que mais impactam nas organizações, que são: Impactos ambientais e tecnológicos, estes são variáveis independentes, o que implica que a organização deve estar constantemente se adaptando ao meio e não o oposto. A partir da identificação destes fatores é que se torna possível adequar a estrutura adequada para cada tipo de organização.

video

Fontes:

Introdução a Teoria Geral da Administração - Sétima Edição - Idalberto Chiavenato

Youtube

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Até que ponto nós, administradores, somos livres para modelar os sistemas organizacionais sob nossa responsabilidade?

Ao ponto que, as atitudes e forma de pensar não interfiram negativamente para a organização. Podemos ver exemplos de grandes empresas que deixaram de existir por uma posição conservadora do seu gestor, como no caso da Montgomery Word que na década de 40 e 50 estagnou pela previsão equivocada do seu gestor que imaginou que por estar ocorrendo uma guerra mundial, haveria uma depressão e assim não quis arriscar em abrir novas lojas e a conseqüência foi à falência da empresa.
Por outro lado, a empresa Sears sua principal concorrente decidiu começar uma mudança agressiva e cara em direção ao centro de compras suburbano (competindo assim com empresas que vendiam a preços menores e em maiores quantidades que ela). O resultado desse ousado investimento foi à sobrevivência nesse período e mais tarde a consolidação e expansão dos seus negócios firmando marcas fortes como utensílios Kenmore e as ferramentas Craftsman.
Assim, toda e qualquer estrutura organizacional que investe em novos formatos, tecnologias, flexibilidade, maior descentralização e mais horizontalidade na comunicação consegue superar os fatores externos sem perder suas características gestacionais de início, oferecendo um produto ou serviço diferenciado dos demais.

Fonte: Administração Estratégica de Mercado por David A.Aaker


http://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=C9-SJMK7wMQC&oi=fnd&pg=PA17&dq=estrategia+empresarial+:+conceito+e+tend%C3%AAncia+de+administra%C3%A7%C3%A3o&ots=zkRyjCTmb9&sig=SPtfUnXXgvzf614T34C1I_tCGb8#v=onepage&q=&f=false

Introdução a Teoria Geral da Administração - Idalberto Chiavenato